psicoterapia psicologia psicóloga zona norte sp psiquiatria saúde mental mudança de vida desenvolvimento pessoal crescimento pessoal saúde emocional qualidade de vida relacionamento terapia de casal

15 incríveis benefícios da música para mente e corpo

Se você gosta de ouvir música, você está em boa companhia. Charles Darwin observou certa vez, “Se eu tivesse minha vida para viver novamente, eu teria feito uma regra para ler alguma poesia e ouvir música pelo menos uma vez a cada semana.” Albert Einstein declarou: “Se eu não fosse um físico, eu provavelmente seria um músico.” Jimi Hendrix dizia que a música era sua “religião“.

Uma pesquisa recente mostra que ouvir música melhora o nosso bem-estar mental e aumenta nossa saúde física de maneiras surpreendentes.  Aqui estão 15 incríveis benefícios cientificamente comprovados para quem desfruta da música.

1. A MÚSICA NOS FAZ MAIS FELIZES

“Eu não canto porque sou feliz; Estou feliz porque eu canto.” -William James

Quando você ouve a música que gosta, seu cérebro libera dopamina, um neurotransmissor que faz você se sentir bem. Valorie Salimpoor, neurocientista da Universidade McGill, injetadou em oito amantes da música uma substância que ligava-se aos receptores de dopamina logo após terem ouvido suas músicas favoritas. Valorie revelou que grandes quantidades de dopamina foram liberados, proporcionando aos participantes emoções como felicidade, excitação e alegria.

Então, da próxima vez que você precisar de um impulso emocional, escute suas músicas favoritas por 15 minutos. Isso é tudo o que precisa para animar-se.

2. A MÚSICA VAI MELHORAR SUA PERFORMANCE NA CORRIDA

Marcelo Bigliassi e seus colegas descobriram que os corredores que ouviam a músicas motivacionais rápidos ou

lentas completavam os primeiros 800 metros de sua corrida mais rápido do que os corredores que ouviam música calma ou corriam sem música. Se você quiser aumentar seu rendimento, ouça músicas que o inspiram.

 3. MÚSICA REDUZ O ESTRESSE E MELHORA A SAÚDE

“Eu acho que a música em si é a cura. É uma expressão explosiva de humanidade. É algo que toca que todos nós. Não importa a cultura que pertencemos.” -Billy Joel

Ouvir a música que você gosta diminui os níveis do cortisol (hormônio do estresse) em seu corpo, o que neutraliza os efeitos do estresse crônico. Esta é uma descoberta importante já que o causa 60% de todas as nossas enfermidades e doenças. Um estudo mostrou que as pessoas fazem música tocando vários instrumentos de percussão e cantando, melhoram seus sistemas imunológicos.

Para manter-se calmo e saudável durante um dia estressante, ligue o rádio. Certifique-se de cantar e mexer seu corpo na batida da música para obter o máximo benefício de cura.

4. MÚSICA AJUDA A DORMIR MELHOR

“A música lava da alma a poeira da vida quotidiana.” -Berthold Auerbach

Mais de 30% dos norte-americanos sofrem de insônia. Um estudo mostrou que os estudantes que ouviam música clássica relaxante por 45 minutos dormiam significativamente melhor do que os estudantes que ouviram um audiobook ou não faziam nada diferente de sua rotina normal. Se você está tendo problemas para dormir, tente ouvir um pouco de Bach ou Mozart antes de dormir.

 5. MÚSICA REDUZ A DEPRESSÃO

“A musica era o meu refúgio. Eu poderia rastejar para o espaço entre as notas e enrolar a minha volta à solidão.” -Maya Angelou

Mais de 350 milhões de pessoas sofrem de depressão em todo o mundo. Gritantes 90% deles também têm insônia. A pesquisa do sono acima descobriu que os sintomas de depressão diminuíram significativamente no grupo que ouvia música clássica antes de dormir, mas não nos outros dois grupos. Outro estudo realizado por Hans Joachim Trappe na Alemanha também demonstrou que a música pode beneficiar pacientes com sintomas depressivos, dependendo do tipo de música. Sons de meditação e música clássica por exemplo, erguiam as pessoas.

A próxima vez que você sentir baixo, coloque uma música clássica ou de meditação para levantar o seu astral.

 6. A MÚSICA AJUDA VOCÊ A COMER MENOS

Pesquisa da Georgia Tech University mostrou que suavizando iluminação e música, enquanto as pessoas comiam os levou a consumir menos calorias e desfrutar mais das suas refeições. Se você está procurando maneiras de reduzir o apetite, experimente diminuindo as luzes e ouvir uma música suave da próxima vez que se sentar para uma refeição.

7. A MÚSICA ELEVA O SEU HUMOR DURANTE A CONDUÇÃO

“Isso é o que eu amo. Não ser interrompido, sentado no carro ouvindo música na chuva. Há tantas grandes canções ainda para cantar.” -Alison Kraus

Um estudo na Holanda revelou que ouvir música pode afetar positivamente o seu humor durante a condução, o que pode levar a um comportamento mais seguro do que não ouvir música. Na próxima vez que você se sentir frustrado no trânsito, escute uma música para melhorar o seu estado de espírito. Isso pode até mesmo ajudá-lo a dirigir com mais segurança.

8. A MÚSICA FORTALECE A APRENDIZAGEM E A MEMÓRIA

“A música é a linguagem da memória.” -Jodi Picoult

Os investigadores descobriram que a música pode ajudá-lo a aprender e recordar informações melhor, mas depende de quanto você gosta da música ou se você é um músico. Pessoas memorizado caracteres japoneses ao escutar músicas que positivas ou neutras para eles apresentaram diferentes resultados. Participantes que eram músicos aprenderam melhor com música neutra, e obtinham resultados melhores com as músicas positivas. Não-músicos, por outro lado, aprenderam melhor com música positiva, e tiveram melhores resultados com a música neutra.

 

9. A MÚSICA RELAXA PACIENTES ANTES/DEPOIS DE CIRURGIAS

“Quem canta seus males espanta.” -Miguel de Cervantes

Pesquisadores descobriram que ouvir músicas relaxantes antes da cirurgia diminui a ansiedade. Na verdade, é ainda mais eficaz do que ser administrada por via oral o Midazolam, um medicamento usado frequentemente para ajudar os pacientes pré-operatórios a se sentirem sonolentos, e que também tem efeitos colaterais como tosse e vómitos. Outros estudos mostraram que ouvir música suave enquanto descansa na cama após a cirurgia de coração aumenta o relaxamento.

Mundialmente, 234 milhões de grandes cirurgias são realizadas a cada ano. Se você ou alguém que você sabe que está indo para a cirurgia, não se esqueça de trazer algumas músicas calmantes para aliviar a ansiedade. Ela pode funcionar melhor, e certamente terá menos efeitos secundários adversos, que os remédios.

 10. A MÚSICA REDUZ A DOR

Pesquisadores na Universidade de Drexel, na Filadélfia descobriram que a terapia com música reduziu mais a dor do que os tratamentos convencionais em pacientes com câncer. Outra pesquisa mostrou que a música pode diminuir a dor em pacientes de cuidados intensivos e pacientes de cuidados geriátricos, mas a seleção de música precisava ser de peças clássicas, música de meditação, ou canções de escolha do paciente.

 

11) A MÚSICA RESGATA MEMÓRIAS DE PACIENTES COM ALZHEIMER 

A organização sem fins lucrativos Music and Memory ajuda as pessoas com doença de Alzheimer e outras demências relacionadas com a idade a lembrar quem elas são, tocando-lhes suas músicas mais queridas. O despertar é muitas vezes dramático. Por exemplo, no caso do Henry, um paciente com demência que mal pode falar, que canta suas canções queridas e felizmente relembra sua vida.

 

Dr. Laura Mosqueda, Diretora de Geriatria da Universidade da Califórnia na Escola Irvine of Medicine, explica o motivo pelo qual a música afeta muitas áreas do cérebro, estimula caminhos que ainda pode ser saudável.

Um em cada três idosos morrem com a doença de Alzheimer ou outras demências , então são grandes as chances de você conhecer alguém com esse problema. Para se conectar com os entes queridos que sofrem de demência relacionada com a idade, tente tocar algumas das suas mais amadas músicas.

12. MÚSICA MELHORA A RECUPERAÇÃO DE PACIENTES QUE TIVERAM AVC 

Pesquisa na Universidade de Helsinki mostraram que pacientes que tiveram AVC ,e ouviram músicas que eles próprios escolheram durante duas horas por dia, tinham significativamente melhor recuperação de suas funções cognitivas em comparação com aqueles que ouviam audiobooks ou não receberam qualquer material de áudio. A maioria das músicas continham letras, o que sugere que é a combinação de música e voz que reforçou a memória auditiva e verbal dos pacientes.

O AVC é o número 5 causa de morte nos Estados Unidos. Se você conhece alguém que tenha sofrido um acidente vascular cerebral, trazer suas músicas favoritas, logo que puder. Ouvi-los pode significativamente rampa até a sua recuperação.

 13. AUMENTO DA INTELIGÊNCIA VERBAL

Depois de apenas um mês de aulas de música (em ritmo, tom, melodia e voz), um estudo da Universidade de York mostrou que 90% das crianças entre as idades de 4 e 6 tiveram um significativo aumento na inteligência verbal. O pesquisador Sylvain Moreno sugere que o treinamento musical teve um “efeito de transferência”, que aumentou a capacidade das crianças em entender as palavras e explicar o seu significado. Outra pesquisa descobriu que mulheres adultas musicalmente treinadas e crianças musicalmente treinadas superam aqueles sem formação musical em testes de memória verbal.

Não importa se você é um adulto ou uma criança, se você quiser aumentar suas habilidades verbais, deixe a música entrar em sua vida!

14. A MÚSICA PODE AUMENTAR A PERFORMANCE ACADÊMICA

“A música pode mudar o mundo porque pode mudar as pessoas.” -Bono

Uma pesquisa mostra que ter aulas de música influencia o desempenho acadêmico e QI em crianças pequenas. Em um estudo, crianças com 6 anos de idade que tiveram aulas de teclado ou canto em pequenos grupos por 36 semanas tiveram aumentos significativamente maiores em QI e os resultados dos testes educacionais padronizados do que crianças que tomaram não participaram das aulas. 

15. MÚSICA MANTÉM SEU CÉREBRO SAUDÁVEL NA VELHICE

Um estudo com adultos mais idosos saudáveis, descobriu que aqueles com dez ou mais anos de experiência musical pontuaram mais em testes cognitivos do que os músicos com um a nove anos de estudo musical. Os não-músicos marcaram menor pontuação. “Estudar um instrumento requer anos de prática e aprendizagem, a prática pode criar conexões alternativas no cérebro que poderiam compensar o declínio cognitivo quando ficamos mais velhos”, diz o pesquisador-chefe Brenda Hanna-Pladdy.

Fonte: Lifehack
Tradução: Bolívar Alencastro; Yohannes Tekle.

 

Deixe uma resposta