psicoterapia psicologia psicóloga zona norte sp psiquiatria saúde mental mudança de vida desenvolvimento pessoal crescimento pessoal saúde emocional qualidade de vida relacionamento terapia de casal

Ansiedade reflete o que o apavora internamente

Quando detecto um transtorno de ansiedade em alguém que vem com queixas compatíveis com isso no consultório, tenho a preocupação maior de pensar o que está levando ao desequilíbrio mental. A ansiedade precisa ser tratada com medicamento quando se trata de um transtorno, explico isso aqui , porém na maioria das vezes ele não é necessário.

Seria simples se pudéssemos resolver tudo com uma pílula, no entanto, o fato delas poderem ser usadas para reduzir o sofrimento dos sintomas, faz com que muitas pessoas as utilizem como muletas para manter situações que têm dificuldade de enfrentar.

A frase marcante de hoje exemplifica o que quero dizer: “Dra., não fossem esses remédios eu não conseguiria me manter tanto tempo nesse casamento falido. Só fico por causa da casa.”

Mudanças na vida só ocorrem quando há decisão. Só é possível avaliar a maturidade e a capacidade de alguém de ter as rédeas de sua vida quando ela sai do ponto morto. É fato que algumas questões não são simples, mas é a complexidade da decisão que determina a magnitude da mudança. A ansiedade vem quando o nosso núcleo de medo interno é ativado. Existe para nos deixar em alerta de perigo o tempo todo. O que você está com medo de enfrentar, de acontecer, de decidir? reflexao

Só temos dois motivadores na vida, a dor ou o prazer. Só eles são capazes de nos fazer sair do lugar. Muito tempo reclamando do outro ou do modelo de vida que leva fala mais a respeito de você do que imagina! Talvez você não tenha conseguido até hoje se desvencilhar de um relacionamento falido ou de um emprego de 15 anos cujo plano de saúde que fornecem é usado para tratar doenças que o próprio trabalho provoca. Talvez não tenha um motivador suficiente para mover para frente ou a dor ainda não foi tão grande para gerar movimento. Será isso que você pensou agora a causa de tamanha ansiedade? O que lhe segura para mudar?

Se recebesse um diagnóstico de que iria morrer em 5 anos, o que faria de diferente?

 

Anna Luyza Aguiar- Médica Psiquiatra e Life Coach

Deixe uma resposta

2 comentários

  1. maria aparecida rodrigues leite

    Doei a minha vida os meus sonhos paraa que o marido realizasse o seu. Acho que errei. Foi sofrimento inútil. Hoje vejo que errei.

    • Medinforme

      É Maria, nós não podemos nos esvaziar por causa de ninguém, não podemos nos anular em função do outro. Se você percebe que errou, está na hora de pensar em você e se proporcionar o que já proporcionou aos outros. Priorize-se agora!
      Um abraço
      Claudia Madureira
      Psicóloga Clínica

      -2