psicoterapia psicologia psicóloga zona norte sp psiquiatria saúde mental mudança de vida desenvolvimento pessoal crescimento pessoal saúde emocional qualidade de vida relacionamento terapia de casal

“Acho que sou bipolar!”

Essa é uma das frases que ouço no consultório com uma certa frequência. Normalmente o paciente chega e diz: “Estou oscilando demais, uma hora estou triste e outra alegre, acho que eu sou bipolar,Dra.!”

O transtorno afetivo bipolar (TAB) ou somente transtorno bipolar antigamente era chamado de “psicose maníaco-depressiva”, lembram de ouvir isso? Pois é, esse nome não é mais utilizado pelos profissionais de saúde mental. Claro que, como o próprio nome diz, a tônica deste transtorno é a alternância entre  os episódios de depressão ou mania/hipomania, mas isso precisa ser bem caracterizado.

Você pode estar se perguntando o que exatamente é Mania. Essa mania sobre a qual estou falando não é nada do que você está pensando! O que nós psiquiatras chamamos de mania bipolar é:

  • Auto-estima inflada, grandiosidade, sensação de ser mais e melhor que os outros
  • Necessidade de sono diminuída, dormem pouquíssimo…!
  • Mais eloqüente que o habitual, pressão por falar, normalmente interrompem as conversas;
  • Perda da inibição social, sem nenhuma crítica sobre o que pode ser vexatório;
  • Fuga de idéias ou sensação de que os pensamentos estão correndo mais rápido do que pode falar;
  • Atenção é desviada com excessiva facilidade para estímulos externos irrelevantes;
  • Aumento da atividade dirigida a objetivos sociais, no trabalho, na escola
  • Aumento do desejo sexual de forma excessiva;
  • Envolvimento excessivo em atividades prazerosas com um alto potencial para insensatez ou perigo, como por exemplo, envolvimento em compulsão para compras,jogos, indiscrições sexuais;
  • Consumo elevado de álcool, café e cigarro
  • Aumento do apetite
  • Impulsividade

Alguns pacientes podem apresentar delírios, achando por exemplo que está predestinado a algo grandioso no mundo, que tem uma mensagem para passar, que é enviado de Deus, que é o melhor em alguma coisa, que alguém o está perseguindo, que há uma trama contra ele, etc. Também pode ouvir várias vozes na cabeça que falam sobre ele mesmo ou dão comandos para determinada ação. Isso chamamos de sintomas psicóticos.

Na Hipomania os sintomas da mania estão mais brandos e não existem sintomas psicóticos.

No episódio depressivo o paciente apresenta ,principalmente, humor deprimido, pessimismo, sentimento de desvalia, falta de vontade de fazer coisas que antes davam prazer, sono alterado, perda do prazer pelas suas atividades, cansaço, alteração da memória e concentração, pensamento suicida, baixa libido, sentimento de insegurança, baixa auto-estima, culpa e outros.

Vale lembrar que existem os episódios mistos, nos quais há presença de sintomas, de mania/hipomania e de depressão, que se apresentam simultaneamente. Esses são os casos mais difíceis de diagnosticar se o médico vê o paciente pela primeira vez na vida.

Portanto, o transtorno bipolar não é somente ficar alegre ou triste de repente! Os prejuízos são enormes quando o paciente está em mania ou depressão, dificultando a permanência em suas atividades diárias e necessitando rapidamente de tratamento médico com o psiquiatra.

Anna Luyza Aguiar- Médica Psiquiatra

Deixe uma resposta