psicoterapia psicologia psicóloga zona norte sp psiquiatria saúde mental mudança de vida desenvolvimento pessoal crescimento pessoal saúde emocional qualidade de vida relacionamento terapia de casal

Tristeza é como febre, avisa que tem algo errado

Desacostumamos a ficar tristes, desacostumamos a parar, olhar para dentro, olhar para si mesmo ficou raro.

Em um tempo em que pensamento positivo está na moda e entristecer é quase proibido, o voltar-se para si tem sido visto como “estar precisando de ajuda”. Nada contra ter bons pensamentos a respeito de sua vida, aliás o otimismo existe, deve ser exercitado, mas de forma inteligente, não alienada.

A tristeza tem uma função essencial para o ser, é importante para o equilíbrio de nossa vida e no norteamento da nossa conduta. Precisamos entender a tristeza como veículo. Ela vem trazendo pensamentos, ela vem para lhe dizer algo precisa mudar. É baixando a cabeça, olhando para dentro, no entristecer, que consegue-se perceber um pouco mais de si, ter um olhar mais crítico para as atitudes, é quando observa-se os erros. Como pedir perdão sem sentir a culpa? Como transformar-se sem curvar-se humildemente e admitir que escolheu o caminho errado?

Não conheço ninguém que consiga refletir na euforia. A tristeza permite ver coisas que a alegria não deixa. É a partir dela que pensamos, elaboramos e mudamos. Antes de qualquer período de mudança para melhorar a vida, há um período triste de reflexão, até mesmo de confusão, só depois disso ocorre a transformação.

Se você está passando por esse período de tristeza, ao invés de lamentar por estar vivendo isso, procure pensar o que a vidatristeza 2 está pedindo para você mudar. Pode ser um relacionamento afetivo conflituoso, um trabalho que lhe explora, o convívio com alguém tóxico… Enfim, qualquer coisa. Não é fácil mudar, e nem é algo que se faz rapidamente ou sem dor, mas é possível decidir mudar e a partir daí procurar como e quem pode lhe ajudar. Faça o possível para não transferir culpas pelo que você vive e procure trazer para você a maior responsabilidade possível, pois só quando as decisões e ações dependem ao máximo de você é possível remodelar o quadro. Não conheço forma mais eficiente de promover grandes mudanças.

Entristecer não é patológico, depressão sim é doença e precisa de tratamento com profissionais adequados. Depressão afeta a funcionalidade cotidiana, o sono, o comportamento, a libido, o apetite, a memória, a disposição para fazer as coisas do dia-a-dia e a concentração. Mas entristecer, nada mais normal diante de muitas circunstâncias da vida.

Se a tristeza lhe saiu do controle e você  não tem conseguido lidar com ela, admita para si, procure ajuda de um psicólogo ou psiquiatra, profissionais treinados para ajudar você nesse momento. Se precisar só de terapia, ótimo, se precisar de medicação, não se assuste, tire todas as dúvidas com quem você escolher e saiba que fazer o tratamento não quer dizer ficar dependente dele, quer dizer que você decidiu fazer por você.

Dra. Anna Luyza Aguiar- Médica Psiquiatra

Deixe uma resposta

1 comentário

  1. Pingback: Depressão é frescura